barraazul
barraazul
barraazul
woodlight
Usuario: visitante não conectadoManual de Aberturas / Aberturas Abertas / Gambito do Rei

Gambito do Rei [C32-39]

Lances inciais

1.e4 e5 2.f4
Esse é o gambito do Rei, uma linha muito antiga e muito usada no século XIX durante a era romântica, onde os sacrifícios de peças e ataques extravagantes eram a voga. De fato as brancas pretendem desde o início tomar o centro trocando um peão central das negras por um peão de flanco. Na sequencia, o posicionamento do Bispo em c4 e a abertura da coluna f, levam a um ataque direto ao Rei negro via f7. É claro que as negras vão cotra-atacar, explorando o mesmo principio contra a casa f2.
Essa linha possui dois ramos principais de estudo, o gambito aceito e o gambito recusado. Vale a lembrança de que na época romântica recusar o gambito era considerado um comportamento reprovável. Em vista dos longos estudos já existentes sabemos que quaisquer das opções dão linhas mais favoráveis as negras se seguirmos as respostas de contra-jogo ideal. Atualmente é raro encontrar jogos de alto nível usando o Gambito do Rei.

I) O Gambito Aceito

2...exf4 3.Cf3
é a resposta usual. Existe a opção das linhas com 3.Bc4. As continuações possiveis são: 3...Dh4+ 4.Rf1 (Anderssen - Kieseritzky, 1851, conhecida como "A Imortal"); 3...Cc6 (Spielmann - Grunfeld, 1922) ou 3...Ce7.
a) 3...d5
é a variante mais moderna do gambito aceito, com exemplo em Spassky - Bronstein, 1960.
b) 3...g5 4.h4 g4 5.Ce5
é a linha mais antiga e chega a importante Tabyia do Século XIX, o gambito Kieseritzky, com exemplos nas partidas Bronstein - Dubinin, 1947 e Rosanes - Andersen, 1863.

II) O Gambito Recusado

a) 2...d5
é o contra-gambito Falkbeer, com exemplos nas partidas Schulten - Morphy, 1857 e Spielmann - Tarrasch, 1923.

b) 2...Bc5 3.Cf3 d6
Essa é a forma de recusa com linha mais moderna.
3.fxe5?? Dh4+ é simplesmente desastroso.
Note ainda que as negras não podem proteger e5 com o Cavalo: 3...Cc6? 4.fxe5 Cxe5?? 5.Cxe5 Dh4+ 6.g3 Dxe4+ 7.De2 Dxh1 8.Cg6+ Ce7 9.Cxh8 com vantagem material e vitória certa para as brancas.




Referências:
1) Watson, John. Dominando as Aberturas de Xadrez - Vol I. Cap9, Pag237~9. RJ, Ciencia Moderna, 2009.
2) Giusti, Paulo. Partidas Magistrais de Xadrez - Vol 1. RJ, Ciencia Moderna, 2003.
3) Kasparov, Garry. Meus Grandes Predecessores - Vol 1. Cap 1, Pag 25, 34 e 39 - Partida 3, 5 e 7. SP, Solis, 2004.
4) _____________. Meus Grandes Predecessores - Vol 3. Cap 2, Pag 205 a 208 - Partida 52. SP, Solis, 2005.